terça-feira, 2 de dezembro de 2008

Compra do Carro. Novo ou usado? Japonês ou americano? 4X4 ou FWD? Leasing ou financiamento?

Continuando nossa aventura da compra do carro. Já havíamos decidido que iríamos adquirir o bem. Agora começamos nossa procura efetiva pelas melhores opções. Durante nossas pesquisas começamos a nos familiarizar com as questões financeiras. O que nos chamou mais atenção foi a questão das taxas de juros. Existem diversas empresas que cobram 0% de juros. Porém, isso é uma realidade apenas para carros novos (0 Km). Carros usados normalmente tem juros muito maiores, cerca de 9%, e a quantidade de parcelas muito menor, máximo 24 meses. Essas variáveis foram decisivas para escolhermos comprar um carro novo. Nós não queríamos desembolsar valores altos e não vemos vantagem em pagar o mesmo preço mensal por um carro usado (logicamente por um menor espaço de tempo).

Esta decisão talvez tenha sido a mais complicada, pois a mudamos várias vezes. Saíamos de casa dispostos a achar um carro zero, mas quando chegávamos nas lojas nos deparávamos com situações que nos balançavam. Alguns exemplos: PT Cruizer 2007 - $11K, Chrysler C300 2005 - $14K, Mercedes M-Class 2004 – 17K, Toyota RAV4 2005 - $17K. A procura é fácil e consegue-se achar carros em boas condições e por preços abaixo de 10K. Boas fontes de consulta são a Carpage (http://www.carpages.ca/) e Autotrader (http://www.autotrader.ca/). Conhecemos várias pessoas com carros usados e percebemos que há uma grande diferença em relação à confiabilidade dos carros com quilometragens elevadas. No Brasil, comprar um carro com mais de 100.000 Km é uma roubada. Aqui tem gente que compra carros com quase 200.000 Km e o carro não apresenta problemas graves durante toda sua “segunda” vida. Não sabemos se são as condições das ruas, o controle de qualidade nas fábricas e exigido pelo mercado ou um conjunto desses fatores. O fato é que os carros são confiáveis mesmo depois de bastante usados.
Resolvemos focar na procura de carros zero e isso incluía pesquisas na internet e “entrevistas” com donos de marcas que gostaríamos de adquirir. O conceito geral obtido como resultado é que os carros japoneses são mais duráveis e mais baratos de manter. Já os carros americanos são mais ligados com a questão do conforto. Os alemães, caros. Os coreanos, segunda linha. Porém, antes que comecem a pensar que isto é uma imposição de valores, gostaria de colocar que é apenas um resumão do que pesquisamos.

Algumas verdades:
  • Em termos de carro zero, comprar uma mercedes ou BMW, só num segundo passo. Os preços são acima da média. Revistas especializadas mostram que o custo benefício destes carros não é dos melhores. (To the hell with it, I want a M Class!!!);
  • Os carros japoneses têm uma durabilidade impressionante. Você vê carro da honda de 1532 no meio da rua. O carro tá todo comido pela ferrugem, mas continua andando;
  • A Tucson, o melhor importado no Brasil no momento, é pouco vendida por ser considerada de segunda linha. Quem pode, compra uma RAV4 (Toyota) ou CRV (Honda);

Algumas “lendas”

  • Ao contrário do que falam, os carros japoneses já estão bem melhores em relação aos opcionais de luxo/conforto. Ligar carro à distância, aquecimento de bancos, etc. Maior exemplo é a Infiniti (http://www.infiniti.com/) que é uma divisão da Nissan. O modelo FX é algo de cair o queixo. Talvez até troque o meu futuro M Class por um FX;
  • Em algumas situações a manutenção dos carros americanos fica mais barata, pois a disponibilidade de peças de reposição é mais fácil. Isso deve se agravar com o fechamento de fábricas de automóveis por estes lados;
  • A Hyundai produz carros com bastante qualidade e bem competitivos, como é o caso do Santa fé. Nós não tivemos oportunidade de conversar com donos destes carros, então não podemos passar mais detalhes.

Depois de olhar bastante e andar muito, resolvemos ficar com o Pontiac Vibe 2009 (http://www.gm.ca/gm/english/vehicles/pontiac/vibe/overview). Em nossa opinião o carro é bonito, tem os acessórios que estávamos procurando e o preço estava excelente. Este carro é fabricado pela Toyota com a base do Corolla e depois vai para a Pontiac para fazer a “perfumaria”. Encontramos então o modelo ideal, pois junta a confiabilidade do japonês com o conforto americano.

Existe modelo mais bonita(o)?

Finalmente, nossa luta acabou, certo? Mais uma vez..... errado.

Dentre os modelos disponíveis poderíamos escolher tração dianteira (FWD) ou 4x4 (AWD). Muitos falam da vantagem do AWD em relação à direção em condições climáticas ruins (muita neve), porém lemos em várias revistas que a diferença não deve ser considerada como o ponto principal de uma decisão. Se você não sabe dirigir na neve, que é o meu caso, então não será a tração em mais duas rodas que vai mudar algo. Pausa para comentário em relação à direção na neve.

Todos falam muito sobre esta experiência e como devemos tomar cuidado quando dirigir na neve, que o carro fica solto, que é preciso ser muito atencioso, etc. Eu, na minha cabeça simplista e confiante, pensei: ah! Para com isso, eu morei em Brasília. Todo mundo sabe como são as ruas durante a primeira chuva de setembro após 4 meses de seca. Ninguém consegue se segurar (sabão, sabão, sabão, chuveu, virou sabão) e eu nunca tive problema. Vou tirar de letra! Semana retrasada dirigi pela primeira vez enquanto nevava.
.........
.........
.........
... isso foi um minuto de silêncio pelo falecimento da minha confiança no volante. Eu só não me borrei porque não passava nem pensamento! Se você acelera um pouquinho a mais o carro patina, se pisa no freio um pouco mais agressivo o ABS começa a gritar igual criança com fome. Eu estava com uma pena incrível de ter gasto 500 dolares para colocar winter tires no carro. Depois dessa experiência eu vi que valeu cada centavo. Eu dirijo pelo menos 60 Km por dia e este acessório é de grande valia para o meu “commute”. Para quem gosta de jogar video game a sensação é a mesma de pegar uma ferrari F50 com câmbio manual e sem qualquer controle de tração. Conseguiram imaginar? Resumindo, eu não sabia se estava acelerando um carro ou fazendo uma obturação com broca. A experiência foi suficiente para entender que ainda tenho muito o que aprender sobre esta “atividade”.

Voltando à questão da tração. Se a diferença na neve não é tão grande, se não vamos usar o carro off-road e, além disso, a diferença de preço é significativa, então optamos pelo FWD.
Pagamento da dolorosa. Este é um ponto de muita discussão. Afinal, devemos fazer um financiamento ou leasing? Serei direto e mais uma vez simplista em meus argumentos. Ainda não conseguimos entender a vantagem do leasing! O nosso entendimento é o seguinte:

  • Paga-se mais barato que um financiamento;

  • É um aluguel de carro. Assim, toda a manutenção deve ser feita obrigatoriamente na concessionária. Eu disse TODA;

  • Caso você cause algum dano ao carro você pagar por isso, não somente o conserto, uma vez que o carro não é seu;

  • Há limite de kilometragem por ano. Normalmente 24000 km. Você pode mudar este valor, mas incide diretamente no preço do carro;

  • Você não consegue se livrar do carro antes do período de contrato. Assim, nascem os sites para socorrer os desesperados. (http://www.leasebusters.com/). O próprio nome já assusta, se alguma coisa precisa ser “busted” significa que não é boa. Leasebusters, Ghostbusters, MythBusters, BlockBusters (humm, acho que esta é a excessão).
    Ao final do leasing você tem o direito de compra do carro, mas terá que desembolsar cerca de 50% do valor do carro... usado;

  • Sei que esta é uma visão de quem optou pelo financiamento, logo totalmente tendenciosa. Já conversei com gurus de leasing que me mostraram algumas vantagens, mas sou muito brasileiro para conseguir entender. As pessoas aqui colocam o leasing como um gasto fixo mensal assim como o aluguel de casa, luz, telefone, etc. O grande argumento que todos os vendedores falam é “se você gosta de trocar de carro a cada 2 ou 3 anos, então leasing é a melhor opção”. Um dia chego lá!

É isso pessoal, desculpem-nos pela demora no complemento deste assunto. Como sabem este post gerou sequelas quase irreparáveis. Espero que seja proveitoso a todos.

Ah! Uma última informação interessante. Existe mais uma variável que nos deixa livre para escolher o carro que “nos der na telha”: o valor do seguro. Aqui o montante a ser pago está mais relacionado com a questão da cobertura à terceiros ($1M) do que com o valor do carro. Assim, a discrepância entre o carro “popular” para o mais luxuoso não será tão grande e não afetará a sua decisão. Afinal de contas no final iremos pagar um seguro caríssimo de qualquer forma.

8 comentários:

Jeanne disse...

Nos optamos pelo leasing de um Honda Fit:
- pq eu queria um Honda (e no Brasil nao tinha grana para adquirir um)
- pq eu nao quero ficar com um carro velho e que me de muita despesa de manutencao. Em 4 anos devolvo para a concessionaria e pego outro
- pq eu queria um Honda
- pq a Honda oferece um seguro adicional por um preco legal (pago $5 por mes para ter guincho e socorro na estrada)
- pq eu queria um Honda
- pq o Fit eh um carro economico e barato (custou menos que a porcaria do meu Celta 1.0 no Brasil)
- pq nao gosto de gastar muito dinheiro com carro
- pq nao entendo nada de mecanica e todos os proprietarios de Honda eram proprietarios felizes
- pq eu queria um Honda

Parabens pelo carro e enjoy it!
Por enqto nao penso em colocar winter tires pq usamos o carro so aos fins de semana e muito pouco (mais para ir ao shopping, ao mercado, a casa de amigos) e sempre pegamos a 401, que tem boa manutencao para neve. So espero nao me arrepender no futuro!
Bjs

Marcio Barros disse...

Luciano, no leasing, o seguro não está incluso no aluguel do carro não?

Luciano Barreto disse...

Marcio,
não que eu saiba! A pessoa tem que ter um seguro pessoal. Acredito que a concessionária não vai se responsabilizar por um terceiro, caso você tenha um acidente e esse é o maior custo do seguro.
De qualquer forma, vale a pena rever isto, mas tenho quase certeza que não.

Jeanne disse...

marcio,
tenho um leasing mas tive que fazer um seguro por fora. Consegui o menor valor pela statefarm.
a concessionaria tenta te empurrar uma serie de "beneficios", entao tem que ficar esperto pq se bobear, os extras saem mais caro que a prestacao do carro.

Anne, Samir e Gabriel disse...

Luciano,

Adorei o post sobre a compra do carro! Ainda estou conhecendo o blog de vcs, mas chego lá.. rsrsr E a tua esposa, dirige?

Beijos,

Anne

Toronto nos aguarde!!! disse...

Olá Luciano,

Parabéns pelo blog, gostei muito deste tópico sobre compra de carro. Como um bom Brasileiro, tb não entendo como funciona este tal de leasing. As informações que vc postou nos ajudarão muito no futuro. E em relação ao ABS, realmente é necessário?

Neto

ammar disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Sara disse...

Eu acho que vou sempre um alquilo de aluguer de automóveis sempre recomendo um carro 4x4 para fazer qualquer viagem, mas o que me preocupa são os hotéis reserve um hotel para os melhores destinos