sexta-feira, 1 de janeiro de 2010

RIP Dalila

Como a vida nos prega peças. Em meio a bons sentimentos de renovação e a celebração do ano em que aumentaremos a família, fomos duramente penitenciados com a perda de nossa companheira de batalha. Para que não passemos suspense nem falsos alertas, hoje nossa Dalila nos deixou para se tornar nosso anjinho da guarda.

Para contar um pouco do que ela significa para nós. A Dalila foi uma válvula de escape que a Nanade arrumou quando descobrimos, em 2005, que teríamos dificuldades para engravidar. O trato era que já que deveríamos esperar pelo menos um ano para podermos começar qualquer tentativa de tratamento, então ela teria que arrumar algo para tomar conta como filhote. Toda vez que eu ia fazer compras no supermercado e recebia a lista de compras da Nanade, lá estava o “gatinho” como ultimo item a ser adquirido. Ainda consegui enrolá-la por uns 3 meses até que um dia entramos na loja de animais do Morumbi Shopping e foi amor à primeira vista. Aquele gatinho “siamês” todo arrepiado, branco, olhos claros, olhou para a Nanade e deu um miadinho como se tivesse feito a sua escolha. Neste momento a Nanade grudou no meu colarinho e disse que só largaria se saíssemos de lá com aquele gatinho. O Wil e a Rachel estavam conosco e não me deixarão mentir sozinho.

Depois disso ela participou de todas as nossas aventuras sempre trazendo uma valvula de escape não somente para os instintos maternos da Nanade, mas também para a vida corrida em que nos envolvemos. Ela estava sempre pronta para receber nossos carinhos. Toda vez que eu chegava em casa ela corria, pois sabia que ganharia um caminhão de tapinhas nas costas. Durante o nosso banho, ela se deitava na beira do box ou na pia e esperava que saíssemos para mais uma vez ganhar carinho. Eu fazia um carinho em sua cabecinha de forma que a envolvia inteira e ficava coçando atrás de sua orelha. Depois do banho era obrigatório esse carinho. Cansei de chegar atrasado nos lugares por gastar 10 a 15 minutos fazendo um afago naquele pelo que parecia feito de algodão. Eu falava que era o “Carinho de Papai” e toda vez que pronunciava estas palavras ela já corria para o banheiro, pois sabia que boa coisa estava por vir.

Em relação à Nanade eu não preciso nem dizer. Era um grude sem tamanho. O amor trocado pelas duas era tão puro que eu digo que descobri o que é um amor verdadeiro depois que a Dalila chegou aqui em casa. Na lista de prioridades no coração da Nanade estavam os pais, os irmãos, a Dalila, a chapinha de cabelo, Empadão de frango, Praia e só depois eu aparecia.

Quem leu nossa história pode ver que a Dalila era a única capaz de tirar um sorriso do rosto da Nanade no momento mais difícil da nossa luta em relação à Gravidez. Quem viu o video de 1 ano de Canadá percebeu que ela estava sempre disposta a nos dar um empurrãozinho para que atravessássemos os momentos complicados da vida inicial de imigrantes. Enfim, ela é parte da família e ultimamente era chamada “neném fora da barriga da mamãe”.

Hoje, sem qualquer aviso prévio ela teve um problema de coração que a imobilizou da cintura para baixo. Eu a levei para o hospital, mas ela já chegou com problemas de respiração graves e fortes dores. Depois de avaliarmos quais seriam as nossas alternativas, não nos restou outra a não ser colocá-la para dormir eternamente. Essa talvez tenha sido a decisão mais difícil que já tomamos em nossas vidas.

O momento de voltar para a clínica para anunciar a nossa decisão foi algo que nunca esquecerei. Ao chegar na clínica o médico perguntou se eu gostaria de vê-la tomando uma injeção que a colocaria em um tranquilo sono e a libertaria de todo o problema que estava enfrentando. Eu disse que jamais teria coragem de ver este momento, mas que gostaria de pegá-la uma última vez para falar tudo que a Nanade havia me pedido. Ela é muito importante em nossas vidas e precisávamos ter certeza que ela sabia de tudo isso. Ao encontrá-la na sala de recuperação e pegá-la no colo ela me deu um abraço tão apertado que não tive coragem de deixá-la partir sozinha num ambiente desconhecido. Eu precisava estar ao seu lado até o fim por mais doloroso que fosse. Fui para uma sala enquanto eles a preparavam para a libertação. Ao encontrá-la novamente ela estava bem alerta, mas com dificuldade de respiração. A única coisa que pedi ao Médico é que pudesse segurá-la da forma que eu quisesse. O medico não se opos e eu a coloquei numa posição confortável e disse “Carinho de Papai”. Ela me olhou como se soubesse o que aconteceria e então pedi para que o médico a libertasse. Com a cabeça encoberta pelas minhas mãos e recebendo uma gostosa massagem atrás das orelhas pude ver sua reação como antigamente e mais uma vez ela dormiu como já tinha feito tantas vezes em sua vida. Dorme, princesinha. Busque nossas crianças para nós. Sabemos que estará sempre conosco.

A Dalila veio ao nosso convívio com um objetivo muito bem definido, mas não precisava nos deixar quando estamos tão pertos de realizar nossogrande sonho. Ela tinha espaço de sobra para continuar compartilhando sua vida conosco por muito mais tempo. Porém, quis o destino que o seu tempo conosco fosse contado, parecia que ela sabia exatamente quais eram suas responsabilidades e escolheu nos deixar neste momento. Sinceramente não concordamos com a sua decisão, mas só nos resta aceitar. O certo é que ela será lembrada para sempre como uma filha, sem exagero.

Dalila nos deixou aos 4 anos (45 anos ao ser comparado com a idade humana). Muito pouco para quem fica, mas levaremos sua presença para sempre.

Segue a última foto que tiramos com ela para provar que ela era minha filha. A foto foi tirada um dia antes de tudo que ocorreu.


A Nanade que me desculpe, mas ela é a cara do Pai.

Obrigado Dalila. Rest In Peace.

18 comentários:

Familia brasileira disse...

Luciano e Nanade,

Às vezes não entendemos porque as coisas acontecem e nos acometem tão fortemente.
Como Ligia sempre diz: nada acontece por acaso.
Como você mesmo disse, a Dalila veio à vida de vocês para preencher um espaço. Este espaço está prestes a ser completado por duas criaturas divinas que estão chegando.
A Dalila cumpriu a sua missão com vocês e agora partiu para uma outra.

Beijos a vocês,

Mauricio

Clau e Zé disse...

Oi,
É incrivel a capacidade dos animais de nos redimir de tantas dores. Com certeza sofremos quando eles se vao, mas vale cade segundo que passamos com eles. Nao sou religiosa, mas gosto mto dessa frase de Sao Francisco de Assis: "Não te envergonhes se, às vezes, os animais estejam mais próximos de ti do que as pessoas. Eles também são teus irmãos."
Um bjo gde pra vcs. E se der, considerem a vinda de outro bichinho pra ser amigo dos bebes = )

Andréa disse...

Luciano e Nanade, posso imaginar como vocês estão se sentindo nesse momento - estou aqui escrevendo e as lágrimas caindo pelo rosto -, mas quero passar muita força pra vocês. A Dalila foi um ser maravilhoso que passou pela vida de vocês com um propósito, uma missão e agora que essa missão chegou ao fim, ela resolveu partir pois sabe que vocês estão bem e serão muito felizes. É claro que na nova vida de vocês tinha espaço de sobra pra ela, mas tem coisas que a gente não entende por que acontecem, mas um dia vocês vão entender. Pelo pouco que convivemos com a Dalila deu pra perceber que ela era muito especial - até escolheu nossa mala, lá na casa da Meg, pra ser o cantinho dela durante a mudança, lembram? E ficou lá, numa boa, sem perturbar ninguém, na dela... E é assim que vocês vão sempre se lembrar dela, com muito amor e carinho, como esse ser especial que marcou tanto suas vidas e a de todos que são próximos de vocês. Sigam em frente, queridos, pois tem muito mais emoções fortes por vir! Os bebês se encarregarão de tomar todo o tempo de vocês e acredito que a Dalila percebeu isso e "saiu de cena de fininho"... Um beijo grande pra vocês e se precisarem de algo, estamos aqui! Andréa e Edu

patitando disse...

Luciano e Nanade,

Eu tenho uma cachorrinha que transformou minha vida para sempre e só agora posso dizer que entendo o quanto esses animais são sensíveis e especiais. Ela me faz rir mesmo nos momentos mais estranhos e me dá a maior força. É realmente membro da nossa família e nossas vidas não seriam a mesma coisa sem ela. Eu posso imaginar o que a Dalila foi e sempre será para vocês, por isso desejo muita força para passar por esse momento.

Rest in Peace, Dalila!

Gleice Kelly disse...

Oi, deixo aqui meus sinceros sentimentos sei como é essa dor pq tenho dois filhos(Yorkshires) e eles são minha alegria nesse lugar gelado. Acho que se eles não estivessem aqui comigo eu não suportaria esse começo tão difícil.
Abraço.

2much-ice disse...

Oi Gente,

Forças nesse momento.
Me emocionei muito com o relato. Mas se o ciclo dela se encerrou agora é porque sua missão realmente foi cumprida e ela estará protegendo a vida desses anjinhos que estão vindo.
Ela foi muito amada, muito querida e isso foi o melhor presente que vcs poderiam ter dado.
Desejo a vcs forças, que as lembranças se tornem algo agradável e que o "carinho de papai" que foi tão destinado a ela realmente agora tome sua posição com a chegada desses 2 anjinhos que serão eternamente cuidados pela Dalila.

Abraços em vcs
Ninha e Do

Lillizinha disse...

Nao teve como nao conter as lagrimas. Sinto muito pelo o que aconteceu....como amante de gatos que sou imagino a barra que estao passando.
Forca

sara disse...

Nanade e Luciano,
Sentimos muito. Sabemos bem pelo que vocês estão passando. Nossa filhinha canina se transformou em anjinho quando eu estava no meio da gestação.
Força, amigos, ela estará com vocês sempre!
Sara (nos conhecemos na casa da Ana)

casanocanada.com disse...

Queridos Lu e Nanade
Linda homenagem...Meu coração tah apertado por vcs...Sei que a dor que estão sentindo eh enorme pois entendo bem como estes "filhos" são especiais pra gente. Não há muito mais para dizer a não ser que Deus ajude vcs, especialmente a Nanade, a superar este momento difícil. Um beijo, Rosa

César, Valéria, Lara e Anaclara disse...

Ela nunca será esquecida porque sua importância pra vocês foi tamanha. O importante é que com certeza ela sempre estará ao lado de vocês e com um cantinho especial em seus corações.

E a vida segue...

Tathi disse...

Poxa....me emocionei muito com o seu relato!
Posso imaginar a dor que sentiram!
Sinto muitissimo!
Crei, com todo meu coracao, que a Dalila hj esta em paz e que um dia vcs se reencontrarao!
Beijocas,

Tathi

Igor Schultz disse...

Oi, Pessoal!!!

Entendo perfeitamente o que estão passando, pois sempre vivi com gatos e hoje temos o Gregório... Eles nos unem ainda mais ao criador, pois aprendemos que existem muito mais criaturas no mundo do que somente nós, humanos...

Sinto muito pelo ocorrido... mas peço que confiem em Deus, pois ele tem algo de especial para vocês logo... O que Ele propõe a gente sempre entende bem depois... Mas tem que confiar!

Conforto e felicidades!

Igor Schultz

Heloisa disse...

Lu e Nanade...fiquei muito emocionada com suas palavras sobre a Dalila...lembrei muito da Kate, que nos deixou há 2 anos...foi muito triste !!!!João Paulo, daquele tamanho, chorava que nem criança !!!!
Agora, já temos a Kate Melzinha, que nos traz muitas alegrias....
Pode ter certeza de que esta " filhinha " está lá no céu, olhando por vcs e pelos bebês...FORÇA, crianças...
Fiquem com Deus...
Um grande beijo da tia,
Heloisa e do tio Gonçalves

mlmartyn disse...

Sinto muito!
Posso imaginar oque ela significa pra voces.
Um grande abraço.
Margaret, Marcelo, Caroline, Boris e Babuska.

Márcia C. P. Alves disse...

Luciano e Nanade,
Sinto muito pela perda de vocês.
Pensem na Dalila como um anjinho difarçado de gata que cumpriu de forma maravilhosa a missão dela e agora vai continuar olhando, de onde quer que ela esteja, e zelando por vocês e pelos bebês que irão chegar em breve.
Beijos

Anchises M. G. de Paula disse...

Luciano e Nanade,
Sinto muito pelo acontecido. Li seu post fazendo muita força para que nenhuma lágrima aparecesse.
Os animais nos oferecem um amor incondicional e uma compania constante. Somos afortunados por contar com eles.
São sentimentos que só quem teve um bichinho de estimação sabe descrever.
Um gde abraço,
Anchises

Suikeda disse...

Luciano e Nanade,

Me emocionei muito com o post, acompanho o blog de vcs há algum tempo , porém nunca fiz nenhum comentário até então.
Posso imaginar a dor de vcs, pois tenho quatro cachorras que são a minha vida...
Desejo muita força a vcs, sei que a dor é imensa, porém, fica a lembrança dos momentos de ternura, como esse do video.

Um abraço.

Sueli.

Li e Karllus disse...

É de arrepiar queridos.....

Sem palavras....

Eli